Quarta-feira, 5 de Novembro de 2008

No limiar do desespero

  

          Há dias, o senhor Ministro da Defesa foi entrevistado na Televisão sobre o recentemente propalado descontentamento dos militares. Não o ouvi, já que o meu masoquismo não chega a tanto e a curiosidade ainda menos. Já sabia de antemão o que iria palrar.
          Soube mais tarde que, como esperava, o senhor referiu, à guisa de arma de arremesso, a aceitação à partida, por parte dos militares, de determinadas obrigações especiais, bem como de restrições às suas liberdades fundamentais.
          Esqueceu-se no entanto de mencionar que essa aceitação faz parte de um contrato que envolve duas partes. Por um lado, os militares comprometem-se a não fazerem uso de certos processos reivindicativos que, embora legais, não se entendem por adequados às Forças Armadas; por outro, o Estado compromete-se a não se servir dessas limitações para, pura e simplesmente, os explorar, ou mesmo desprezar.
          Ora, o que se tem verificado é que, ao longo de décadas, os militares, a par de terem de cumprir à risca obrigações que derivam da “Condição Militar”, vão perdendo regalias e poder de compra. Porém, ao mesmo tempo, outros servidores do Estado, talvez por disporem de grande poder reivindicativo, continuam a não serem atingidos nos seus interesses. E, como se tal não fosse suficiente, a classe política, juntamente com toda a multidão dos boys que se sentam à sua gamela, come e bebe à tripa forra, indiferente às dificuldades que se avolumam nos estratos mais carenciados do nosso povo, nos quais os militares estão a ser, cada vez mais, incluídos.
          Nesses termos, é mais que evidente que o Estado não está a cumprir a sua parte do contrato. À boa fé dos militares, responde com toda a sorte de artimanhas para se furtar às obrigações a que se comprometeu.
          É altura de perguntar: será que os militares ainda têm alguma dúvida de que deixaram há muito de estar obrigados a cumprir a sua parte do contrato?

 

publicado por Fernando Vouga às 17:40

link do post | comentar | favorito
|

E.Rec.2640

pesquisar

 

Setembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

Notas recentes

Só pode ser piada

Para quem gosta de ler

A luta armada na Guiné

Para quem gosta de ler

Para quem gosta de ler

A guerra na Guiné

Foi há 48 anos...

Despesa que não morreu

10 de Junho

Mas que golpada!

Arquivos

Setembro 2016

Abril 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Maio 2015

Abril 2014

Julho 2013

Junho 2013

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Fevereiro 2012

Maio 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Agosto 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Favoritos

Deixem os amigos em paz

Para onde vais, América?

Ligações

Visitas

conter12

E.Rec.2640

blogs SAPO

subscrever feeds