Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

QUANTO MAIS QUENTE MELHOR

QUANTO MAIS QUENTE MELHOR

NUNCA POR CALADOS NOS CONHEÇAM

Se não fosse trágico, era anedótico.

DN - Madeira, 8 de Agosto de 2007

 

            Quem viajar pelo Norte da Europa pelas estradas nacionais, é frequentemente surpreendido por cemitérios de militares. De vários tamanhos e estilos, no Norte da França, nas Ardenas, na Flandres, no Luxemburgo, na Alemanha, apresentam-se sempre limpos e bem cuidados. Sinal de respeito e veneração por aqueles que tombaram no cumprimento do dever.
            Eram militares, quase todos jovens, com uma vida inteira à sua frente e, muitos deles, pouco ou quase nada receberam das suas Pátrias. Caso dos soldados portugueses que combateram na Flandres durante a primeira Grande Guerra, a quem nem sequer foram ministradas as primeiras letras. Caso também da maioria dos soldados que combateram na guerra colonial…
            Esta notícia choca pela sua irracionalidade e pelo que tem de insólito. Porque nos outros países veneram-se os caídos. Aqui, é o que se vê.

2 comentários

Comentar post